Com novo gestor de projetos, Instituto Aliança contra Hanseníase aumenta esforços para enfrentamento da doença

Instituto Aliança Contra a Hanseníase participa do maior evento em dermatologia da Europa
14 de setembro de 2022
FOLLCH
Fundadora da Aliança contra Hanseníase integra a Fórum Lusófono de Luta Contra Hanseníase – FOLLCH
7 de novembro de 2022
Gestor de Projetos

Melhorar a qualidade de vida dos pacientes, combater estigmas e desinformação estão entre os objetivos do Instituto que desenvolve projetos focados nas especificidades de pessoas acometidas pela hanseníase

A missão do Instituto Aliança Contra Hanseníase (AAL, na sigla em inglês – Alliance Against Leprosy) de proporcionar assistência técnica aos pacientes acometidos pela doença, informação de qualidade e combater o preconceito contra a hanseníase ganhou mais um aliado. Reinaldo Bechler, especialista em história da hanseníase, se junta à equipe da AAL para somar esforços no trabalho desenvolvido com sensibilidade e embasamentos éticos e científicos. Bechler atuava como diretor-executivo da ONG alemã DAHW Brasil, conhecida pela capacitação e valorização de profissionais de saúde mobilizados para o enfrentamento da hanseníase e presente no Brasil desde 1958. A ONG anunciou nas últimas semanas sua saída do país e irá direcionar seus trabalhos para a África.

“Estamos muito contentes em podermos trabalhar juntos com o Reinaldo, que já vinha fazendo a diferença na Hansenologia brasileira. Acredito que assim iremos levar mais impacto social para o Brasil: unindo forças em direção de um mesmo objetivo”, comenta Dra. Laila de Laguiche, médica dermatologista e fundadora da Aliança contra Hanseníase. 

Bechler vai iniciar suas atividades na AAL em janeiro de 2023 e as expectativas são as melhores com o Instituto. “A AAL tem o diferencial de ser uma instituição dinâmica, em minha opinião. Hanseníase é um grave (e antigo) problema de saúde pública no Brasil, e precisa ser enfrentado com novas ideias, buscando novos caminhos. A maneira de atuar que a AAL tem desenvolvido nos últimos anos me chamou muito a atenção, seja pela escolha das áreas de atuação (como reabilitação por exemplo), seja pelos métodos inovadores que utiliza. Sem dúvidas, trata-se de uma instituição que foge do lugar comum, e isso é tudo do que o enfrentamento da hanseníase precisa nesse momento tão desafiador”, afirma Bechler. 

Com uma trajetória profissional e conhecimento acadêmico consistentes, Bechler será o gestor de projetos da AAL, auxiliando no gerenciamento de múltiplos projetos. “A gestão administrativa das instituições se complexifica a cada dia frente a tão diversificadas demandas da sociedade contemporânea, sejam elas nas dimensões humana, social, econômica. É no contexto dessas tendências e reflexões que saúdo efusivamente a chegada do Reinaldo para coordenar a ação aplicada da AAL, a qual, de seu turno, se amplifica dia a dia”, observa Aguinaldo Gonçalves, especialista em hansenologia há mais de 50 anos e conselheiro da AAL.

“Uma importante e decisiva aquisição para o futuro do Instituto (AAL). Reinaldo Bechler associa uma excelência gerencial com um profundo conhecimento das questões da hanseníase, habilidades e conhecimentos permeados por uma formação humanística, questão frequentemente negligenciada no positivismo da visão médica. A visão sensível da Dra. Laila de Laguiche, renomada hansenóloga, não poderia furtar-se a tão acertada escolha”, complementa Marcos Virmond, professor do curso de Medicina da FOB-USP e ex-presidente da Internacional Leprosy Association.

Graduado em História pela Universidade Federal de Minas Gerais, Reinaldo possui Doutorado em História Contemporânea pela Universität Würzburg e Pós-Doutorado em História da Ciência e em Educação Científica e Tecnológica. Até o final de 2022, permanece como diretor-executivo da DAHW Brasil.

Gestor de projetos irá contribuir com os projetos do Instituto 

O novo integrante da AAL contribuirá com o projeto TECHansen e com a implementação de Sapatarias e Oficinas de Adaptação de Calçados, em Mato Grosso (o maior em número de casos no Brasil, com cerca de 4 mil novos casos todos os anos), que inclui a rede de sapatarias especializadas para facilitar a locomoção de pessoas com hanseníase, além do projeto Biojoias e um novo projeto que será lançado em 2023, o DocHansen. 

Estes projetos e muitos outros realizados pela AAL são viabilizados com recursos repassados pela Companhia Internacional da Ordem de Malta contra a Hanseníase (CIOMAL, na sigla em francês), com a qual o Instituto AAL tem sólida parceria. 

Instituto Aliança contra Hanseníase

Com sede em Curitiba (PR) e projeção internacional, o Instituto Aliança contra Hanseníase é uma associação sem fins lucrativos que une ciência, educação e filantropia no combate à hanseníase. O Instituto AAL foi fundado pela dermatologista e hansenologista Dra. Laila de Laguiche, profissional com 20 anos de experiência na área, pós-graduada em Saúde Internacional e Doenças Tropicais pelo Instituto de Medicina Tropical da Antuérpia (Bélgica). Já atuou como representante da regional Sul e Relações Internacionais da Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH). A entidade ainda conta com uma equipe de conselheiros formada por grandes referências em hansenologia no Brasil e na América Latina. Mais informações, acesse: www.allianceagainstleprosy.org.

DOE|DONATE
Português