Angola recebe relatora da ONU para o fim da discriminação contra hanseníase

Bernard de Laguiche
Quem apoia a AAL: conheça Bernard de Laguiche
21 de abril de 2022
Haly Abou Chami
Diretor-presidente da AAL, Haly Abou Chami fala sobre sua trajetória e envolvimento com a causa
19 de maio de 2022

Foto: ONU/Jean-Marc FerréRelatora da ONU para a eliminação da discriminação das pessoas com hanseníase, Alice Cruz

A relatora especial* das Nações Unidas para a eliminação da discriminação contra pessoas afetadas pela hanseníase chega a Angola esta quinta-feira, 28 de abril, onde ficará até o dia 10 de maio. 

A especialista em direitos humanos Alice Cruz declarou que estará em busca de “exemplos de boas práticas e de conhecer desafios e oportunidades para a eliminação” do preconceito daqueles afetados pela condição de saúde. 

Melhores práticas  

Mercado em Luanda, AngolaFAO/ C. MarinheiroMercado em Luanda, Angola

Esta será a primeira vez que um relator especial da ONU para o fim da discriminação da hanseníase visitará um país africano. Além disso, a última vez que Angola recebeu um relator de direitos humanos das Nações Unidas foi em 2016.  

Segundo Alice Cruz, o foco da visita estará “nas questões de discriminação estrutural e interpessoal; nas políticas discriminatórias e nas melhores estratégias para a redução do estigma e para o desenvolvimento inclusivo das pessoas afetadas pela hanseníase”.  

A relatora afirmou ainda que pretende “identificar progressos e lacunas na implementação dos Princípios e Diretrizes da ONU e fazer recomendações construtivas.” 

Encontro com comunidades afetadas  

Hanseníase continua contaminando pelo menos 200 mil pessoas todos os anosUnicef/Sanjay AcharyaHanseníase continua contaminando pelo menos 200 mil pessoas todos os anos

A especialista em direitos humanos terá encontros com representantes de governos, da sociedade civil, com especialistas em saúde, direito e ciências sociais, além, claro, de pessoas afetadas pela hanseníase. Alice Cruz visitará várias comunidades na capital Luanda e em Benguela.  

Ao final da visita, em 10 de maio, Cruz fará uma conferência para jornalistas, onde compartilhará suas principais observações. Um relatório completo sobre a situação das pessoas com hanseníase em Angola será apresentado ao Conselho de Direitos Humanos da ONU em junho de 2023.  

Fonte do texto: ONU News

DOE|DONATE
Português