QUEM SOMOS

Instituto Aliança contra Hanseníase

Alliance Against Leprosy

Dra. Laila de Laguiche
Hansenologista

Filantropia e Ciência juntas

Com sede em Curitiba (PR) e atuação internacional, o Instituto Aliança contra Hanseníase – AAL, na sigla em inglês (Alliance Against Leprosy), é uma associação sem fins lucrativos que une ciência, educação e filantropia no combate à hanseníase, também conhecida como lepra. Fundada em 2018 pela Dermatologista e Hansenologista Dra. Laila de Laguiche, a AAL é uma instituição com foco exclusivo em Hanseníase e tem por objetivo oferecer assistência à população afetada pela doença, difundir informações de qualidade, combater a patologia e incentivar o diagnóstico precoce.

Valores – Nascido da vontade de ajudar pacientes, levando assistência e informação de qualidade, prezamos sempre nossa conduta em embasamentos ético e científico. O Instituto AAL cresceu da amizade dos sócios-fundadores e da necessidade iminente de organizar a sociedade brasileira para uma atuação contundente contra a Hanseníase e seus agravos. Todo o trabalho da AAL está enquadrado em um contexto muito desafiante,  pois o Brasil encontra-se em segundo lugar no ranking dos países afetados pela Hanseníase, perdendo o primeiro lugar somente para a Índia.

Hanseníase: um problema social a ser resolvido

A hanseníase é uma doença crônica infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium leprae, que se multiplica lentamente e pode levar de cinco a dez anos para dar os primeiros sinais. A patologia afeta principalmente os nervos periféricos e está associada a lesões na pele, como manchas esbranquiçadas, ressecamento e perda de sensibilidade. O diagnóstico tardio pode deixar graves sequelas, especialmente a incapacidade física. Até 1995, a Hanseníase era conhecida como Lepra. Em março daquele ano, entrou em vigor a Lei 9.010, que alterou o terminologia oficial, mas não representou mudança significativa nos desafios vividos pelos portadores da doença.

Embora tenha cura e tratamento gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a hanseníase é difícil de ser identificada e faz parte de uma chocante realidade no Brasil. O país é o segundo com o maior número de casos no mundo, atrás somente da Índia. Segundo dados do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2017 foram detectados 26.875 novos casos no território brasileiro, o que representou mais de 93% das ocorrências registradas em países das Américas. Em 2016 foram 25.218 casos. Dados preliminares já apontam 26.667 casos em 2018.

A OMS colocou a hanseníase na lista de doenças negligenciadas, caracterizadas por serem patologias infecciosas e afetarem, principalmente, as populações que vivem em extrema pobreza. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), as doenças negligenciadas estão restritas a regiões tropicais e subtropicais com água não tratada, higiene e saneamento inadequados e condições de habitação precárias.

Sobre a fundadora, Laila de Laguiche

A paixão contagiante da Dra. Laila pela pesquisa e tratamento da hanseníase espalhou uma esperança no horizonte brasileiro. Brasileira e francesa, com formação médica no Brasil e Pós-Graduação na Bélgica em Medicina Tropical e Saúde Pública Internacional, Dra. Laila une a sabedoria técnica com a nobreza da  filantropia. É profissional de saúde com 20 anos de experiência na área, pós-graduada em Saúde Internacional e Doenças Tropicais pelo Instituto de Medicina Tropical da Antuérpia (Bélgica), consultora do Ministério da Saúde, representante da regional Sul e Relações Internacionais da Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH).

Responsável técnico: Dra. Laila de Laguiche, dermatologista
CRM- PR 31295 /RQE 17087
Hansenologista RQE 19706

Apoiadores – O Instituto AAL tem como membros renomados cientistas e médicos de várias partes do território nacional bem como ícones da sociedade civil, com experiência ímpar na parte administrativa, financeira, social e advocatícia.  É com este pluralismo que acreditamos poder atingir nossos objetivos!

Temos muito trabalho pela frente para isto precisamos de seu apoio, envolvimento e participação nesta ALIANÇA!

Sonhamos grande!

Sonhamos com um Brasil livre de Hanseníase!

Você é muito importante para NOSSA ALIANÇA!