Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro veta treinamento médico de combate à hanseníase na Rocinha

Projeto do Instituto AAL no Mato Grosso é destaque na TV Record
23 de maio de 2019
Instituto AAL coloca hanseníase em pauta na sessão da Câmara Municipal de Curitiba
9 de junho de 2019

Capacitação médica do Instituto Aliança Contra Hanseníase seria realizada nas três unidades de saúde da comunidade, de 3 a 7 de junho.

A apenas três dias do lançamento do projeto #TodosContraHanseníase, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro decidiu cancelar, sem apresentação de qualquer justificativa plausível, a autorização concedida ao Instituto Aliança Contra a Hanseníase e à Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH) para operar gratuitamente nas unidades de saúde da Rocinha. O projeto médico-social seria realizado com o objetivo de treinar as equipes de saúde da comunidade e conscientizar a população a respeito dos riscos da doença. O órgão público havia liberado a execução do projeto durante uma semana, de 3 a 7 de junho, mas voltou atrás nesta quinta-feira (30), alegando que o projeto possui natureza de pesquisa científica. Os realizadores procuraram as autoridades públicas para rever a decisão, mas não foram respondidos.

 

Com 30 mil novos casos por ano, o Brasil é o segundo país do mundo com o maior número de pacientes com hanseníase, classificada como doença negligenciada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O cronograma na Rocinha incluía realização de exames que estão disponíveis apenas em seis Centros de Referência em todo território nacional. Na visão dos especialistas, as barreiras burocráticas enfrentadas junto ao poder público brasileiro perpetuam a invisibilidade e o estigma social da doença e dificultam o combate de novos casos. O Instituto Aliança Contra Hanseníase lamenta a impossibilidade de, neste momento, prestar seus serviços à comunidade da Rocinha e repudia a decisão unilateral anunciada pelas autoridades de saúde do município do Rio de Janeiro.

*nota de repúdio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *